Toolkit

Toolkit Serviço Social & Sustentabilidade Ambiental Um guia prático para a aplicação da sustentabilidade ambiental em Serviço Social

Somos hoje confrontados com inúmeros desafios no que diz respeito à sustentabilidade do nosso Planeta, emergindo a necessidade de respostas sustentáveis que não ponham em causa os limites naturais da Terra. O combate ao agravamento das situações climáticas cada vez mais adversas carece de respostas que envolvam todos os intervenientes da sociedade, a mobilização de grupos e comunidades em prol de um objetivo comum: o Desenvolvimento Sustentável.

É sobre essa premissa que os autores tomaram o desafio de desenvolver este Toolkit: porque também aqui o Serviço Social deve ter cada vez mais a capacidade de desenvolver uma agenda proativa de inovação social, que permita incorporar as preocupações ambientais como parte do seu contributo para a justiça económica e social!

Para mais informações e contacto com os autores poderá enviar e-mail para: toolkit.ss.sustentabilidade@gmail.com

E-book

Ebook APSS 5.º Congresso Nacional de Serviço Social 2018 Comunicações aos Painéis Temáticos: 25 e 26 de outubro

O Ebook APSS 5.º Congresso Nacional de Serviço Social 2018 – Comunicações aos Painéis Temáticos: 25 e 26 de outubro” é produto científico do último congresso nacional  promovido pela APSS, em colaboração com o Instituto Superior de Serviço Social do Porto, CRL e realizado em Matosinhos, sob o tema “Serviço Social e Desenvolvimento Humano”.

Grupo de Saúde Mental APSS

Newsletter nº 9

” Serviço Social na Saúde Mental”
 

EDITORIAL
“Equipas Comunitárias de Saúde Mental

(Isabel Fazenda (1))

 

Recentemente foi publicada na imprensa nacional uma entrevista com o Director do Programa Nacional para a Saúde Mental, Dr. Miguel Xavier, que foca temas da saúde mental que se relacionam claramente com a intervenção do Serviço Social. Por essa razão não resisto a citá-lo: “O que a maior parte das pessoas precisa não é de serviços de saúde nem de psiquiatras, mas sim de uma comunidade resiliente.” Ou seja, habitação digna, trabalho com remuneração adequada, segurança social que as apoie, bons transportes públicos. Se isto existir numa sociedade “a maior parte das pessoas não desenvolve doença mental.”
Não há saúde sem saúde mental é já uma frase batida, mas é preciso alertar quem tem de tomar decisões, pois “A saúde mental tem de estar em todas as políticas”. Há muitos factores que condicionam a saúde e a doença mental, e os factores económicos são “absolutamente determinantes”. “É por isso que defendo que Portugal tem que passar a ter em linha de conta a questão da saúde mental quando está a planear e a desenvolver políticas laborais, de segurança social e educacionais.”, refere ainda o Dr. Miguel Xavier. Perante estas afirmações, como podemos ficar indiferentes?

Continuar a ler

 

Newsletter nº 8: Reabilitação Psicossocial 

Grupo Serviço Social na Saúde Mental APSS

Editorial: Em 2001 a OMS definiu reabilitação psicossocial como: “Processo que oferece aos indivíduos que estão debilitados, incapacitados ou deficientes devido a perturbação mental, a oportunidade de atingir o seu nível potencial de funcionamento independente na comunidade, o que envolve tanto o incremento das competências individuais como a introdução de mudanças ambientais. As redes de habitação, reabilitação profissional, emprego e apoio social constituem aspetos da reabilitação
psicossocial.”
As perturbações mentais graves podem dar origem à perda das capacidades de relacionamento, de adaptação social e de desempenho profissional, que podem ser compensadas através do processo de
reabilitação, que incide por um lado na recuperação e aprendizagem de competências individuais e sociais, por outro na criação de suportes sociais adequados aos níveis de autonomia ou dependência dos doentes.
A visão da reabilitação apenas como um treino de habilidades, competências, normas sociais, resulta numa homogeneização das identidades e das diversidades, aglomeradas debaixo da designação de
“doente mental crónico”.

Continuar

NEWSLETTER Nº 7: SERVIÇO SOCIAL EM TEMPO DE PANDEMIA –  GRUPO SERVIÇO SOCIAL NA SAÚDE MENTAL APSS – JUNHO 2020

Consultar 

 

8 DE MARÇO DIA INTERNACIONAL DA MULHER

8 DE MARÇO DIA INTERNACIONAL DA MULHER

O dia 8 de março é hoje considerado o Dia da Mulher, mas nem sempre foi esta a data da sua comemoração. A ideia vai surgindo nos Estados Unidos e Europa, a partir de finais do século XIX e início do século XX, ten-do como ponto de parti-da a luta das feministas por melhores condições de trabalho e direito ao voto. Inicialmente comemo-rava-se em fevereiro ou março, consoante o país, tanto na Europa como nos Estados Unidos. Em 1917 é instituído o dia 8 de março, como Dia Internacio-nal da Mulher, pelo Movimento Internacional Socia-lista. A partir de final da década de 20 começa a não ser comemorado com a mesma frequência.

DIA MUNDIAL DA JUSTIÇA SOCIAL

DIA MUNDIAL DA JUSTIÇA SOCIAL

Por uma Voz Coerente e Ação Persistente.
A comemoração do Dia Mundial da Justiça Social (20 de fevereiro) realiza-se desde 2007, ano em que a ONU “reconheceu a necessidade de consolidar os esforços da comunida-de internacional no domí-nio da erradicação da po-breza e no que se refere a promover o pleno empre-go e o trabalho digno, a igualdade de género e o acesso ao bem-estar social e à justiça para todos”.
Neste dia é comum ouvirmos discursar líderes mundiais e nacionais que apresentam as suas políticas, seus resultados, e as promessas de um futuro promissor. 

Folha Aberta nº6
Folha Aberta nº5
Folha Aberta nº4
Folha Aberta nº3